Julieta Capuleto x Giulietta Tolomei – PARTE FINAL (2)

O dia amanheceu apenas no globo terrestre, pois a escuridão ainda havia nos olhares e na esperança das pessoas, os Capuletos acabam de chegar ao Hospital de Verona, a polícia afastou toda multidão próxima, para os Capuleto.

— Deixem os Capuleto passarem! Abram caminho…
— Olhem é a senhora Julieta Capuleto! Como ela é linda pessoalmente!

Tentaram ir pra cima da Julieta Capuleto, e um dos guardas da família espancou o rapaz, e Julieta disse.

— PARE! DEIXE-O!

Voltou atrás, e deu a mão ao rapaz e tirou o lenço dela, limpando o sangue dele na cabeça. E deu um beijo na testa do rapaz.

— Se cuide meu rapaz…

Todo mundo aplaudiu a generosidade de Julieta e a imprensa em cima disso, que estava a transmitir a chegada deles ao vivo, e após isso ela acenou pra todos sorrindo. Quando entraram as portas do hospital foram fechadas.

(Julieta Capuleto Narrando):

Dio mio… Salve mia mulher! Eu a amo com todo meu coração, morreria ao saber que não estás mais conosco nessa vida… O que será de mim? Imploro-te.

— Julieta! Filha… Cumprimente os senhores Tolomei!

Eu via nos olhos de Roberto o olhar de Giulietta, e na mãe todos os traços finos de Giulietta, tudo me lembrava ela. Eu fiquei sem reação, eu me curvei diante deles.

— Senhores Tolomei, muito agradecida por teres aprovado a vinda de minha família aqui. Como está a minha amada Giulietta?

— Não temos noticias ainda minha senhora… Mas, agora eu que agradeço pelo conforto. Temos depois muito o que conversar…

— Roberto…

Há anos que meus pais, mais os Tolomei não se falam, e fiquei até emocionada com a cena. Eles deram aperto de mão, e se abraçaram.

— Este foste o primo de minha filha, que a sua filha salvou…

Ele se curvou diante do Roberto, e beijou a mão dele.

— Meu senhor! Perdoai-me por meu comportamento agressivo ao seu ente querido, sua filha salvou minha vida, sou seu prisioneiro… Ela declarou amor, por minha prima, e isso me deixou comovido.

— Levante-se meu rapaz! O meu sobrinho já pagou pelo que fez… Ele estava totalmente errado por desrespeitar uma nobre moça com a sua prima, a Julieta Capuleto. E agora eu convido vós, a sentar-se conosco ali.

— És um nobre homem Tolomei, muito obrigado! Obrigado mesmo, que Deus abençoe o senhor… Minha filha ficará o tempo que for necessário.

— Que Deus abençoe minha filha…

Eu preciso ver o rosto de Giulietta, preciso ver aquele sorriso safado, aquele olhar gentil que só ela tem… Meu coração está negro, sozinho… Sinto que ele está parando aos poucos, a cada não informação sobre o caso dela. Alguém acenda as luzes, pois não vejo nada, apenas a escuridão de minha dor…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.