Idas e vindas – Novas Esperanças

Idas_Vindas

Capítulo 29º – Novas Esperanças

Eu ri pra diminuir o embaraço em que me encontrava. Então falei.

Obrigada! E continuem a conversa não queremos atrapalhar. – dei um último sorriso e me afastei. Angélica ainda ria, continuamos caminhando, Angel ainda falando sobre elas, mas eu não conseguia ouvir nada. Tentava criar uma maneira de me aproximar dela. Por fim, Angel teve que dar um pulo em sua casa, e eu tinha ficado sozinha. Bom, pra mim. Estava querendo mesmo ruminar meus pensamentos.

Dei umas voltas pela ambiente conversando com uns e outros, depois sentei em outro bar, pedi uma cerveja; na verdade eu queria era uma dose de vodka pra ver se eu conseguia me esquentar a noite estava muito fria e a cerveja não ajudava em nada. Foi quando um par de mãos fechou meus olhos no famoso adivinha quem é?

Não tenho a mínima ideia…

Ah, faz um esforço.

Hum, Ge?

Claro que sim! Menina o que é que está acontecendo?

Por quê?

Por quê? Não viu com quem eu estava falando?

Vi sim e o que é que tem?

Não vem não Lu ela já me contou tudo.

Contou? Contou o que?

Tudo, ela disse que ta a fim de ficar com você que parece que ta ficando maluca, mas parece que você não quer!

Ah! Como é que é? Eu que não quero? Ela ta maluca mesmo, porque eu digo isso todo dia pra ela. Que eu quero ficar com ela, mas ela põe um monte de empecilhos.

Ah, então vocês vão ficar hoje, porque eu vou dar um jeito nisso.

Gelei. O que eu mais queria poderia acontecer hoje. Não estava acreditando, meus pensamentos mais recônditos estava ali acontecendo, finalmente. Agora só faltava a Ge encontrar com ela.

Espera por aí que eu vou procurar por ela e marcar pra vocês duas conversarem. Mas, aproveita e investe, ela te quer. Te quer muito. Me disse que não ta mais suportando essa situação, que nunca quis tanto uma pessoa como ela te quer, que já não sabe mais disfarçar.

Ta bom, eu vou esperar aqui mesmo, não vou sair daqui e não demora, pelo amor de Deus.

A Ge se foi, e meu coração parecia uma britadeira, ela me queria. Disso eu já sabia, mas saber isso por outra pessoa era uma sensação completamente diferente e era digamos assim: MARAVILHOSO. Os minutos pareciam anos, eu já estava a ponto de ir atrás delas, mas me contive. Tinha que ter paciência, agora mais do que nunca. Demorou mais uns minutinhos e então Ge chegou:

E ai?

Ela disse que sim, marquei lá em casa, ela disse que só vai deixar o incômodo em casa e vai voltar.

Beleza, mas como vai ser? Ela vai comigo ou ela vai contigo? Não sei, procura por ela quando ela chegar daí vocês vão. Já tenho que ir, a porta vai ficar aberta.

Ok, valeu Ge. Valeu mesmo.

Boa Sorte Lu.

Obrigada.

Suspirei, mas um tempo esperando quanto mais eu tinha que esperar. Passou muito tempo, comecei a imaginar que ela pudesse não voltar mais.

Meio que desapontada caminhei insegura e me sentei observando a festa. Já estava pensando em ir embora quando a vi, sentada em uma mesa. Fui ao seu encontro o coração sobressaltado, corpo vacilante, mãos suadas, parecia que tinha milhares de borboletas em meu estômago. Inspirei profundamente. Chegara a hora da verdade.

Oi!

Oi.

Pensei que já tivesse ido embora.

Não, a Ge falou que você queria conversar comigo.

Humrum, na verdade eu queria me desculpar contigo por ontem à noite. Eu não queria ter deixado você falando sozinha, mas acredite em mim. Foi o melhor.

Não precisa se desculpar não, apesar de que eu nunca vou esquecer isso. Eu desculpo você, mas eu sempre me lembrarei de sua atitude.

Me senti meio angustiada com as palavras dela. Afinal, ela não precisava me dizer tudo aquilo: eu sabia, ela nunca esqueceria, talvez até fizesse comigo o mesmo quando encontrasse a oportunidade. Mas, assenti e deixei que as coisas fluíssem naturalmente.

Está tudo bem contigo? – ela me olhou meio triste meio incerta do que falar.

Está.

Sei que não tenho nada haver com a sua vida, mas me pareceu que você e a Ge estavam falando sobre mim. O que vocês estavam conversando?

Ela pensou uns segundos como se estivesse medindo as palavras corretas e começou a falar:

Ai Lu eu tava conversando sobre nós. – era a primeira vez que ela usava aquele termo e não posso negar mexeu comigo. – posso ter feito uma loucura, mas não sabia o que fazer, queria muito conversar com alguém e como você está sempre pela casa dela, conversando com ela, pensei que podia confiar nela também. Contei tudo, o que estava sentindo, o que aconteceu e o que eu queria que acontecesse. Ela disse que ia conversar com você…

É ela realmente falou comigo. Me disse que você tinha dito que eu não queria ficar contigo. E você sabe que isso não é verdade, eu te quero, te quero muito. Entende isso de uma vez por todas.

Não consigo acreditar nisso… Na minha cabeça você só quer me iludir.

Então me deixe mostrar que isso não é verdade… Fica comigo?

Ficar contigo? Eu não sou uma mulher de ficar por ficar Lu…

Você sabe o que eu estou dizendo. Não posso dizer que você namore comigo posso?

Não.

Então? Fica comigo?

A onde? Em que lugar?

Na casa dela, ela está esperando a gente lá.

Não sei, tenho medo de ela falar algo pra alguém. As pessoas vão ver a gente saindo juntas, vão comentar.

Então a onde?

Não sei.

Assim fica difícil não acha?

É fica sim.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s