Quando o sexo esfria

Todo mundo (ativo e saudável) adora fazer sexo e pelo menos uma vez na vida já sentiu enorme prazer e felicidade ao praticar esse ato dos “deuses”. Mas sexo é uma prática que carrega certo peso, lá no inicio da nossa adolescência ele é proibido visto como algo perigoso capaz de machucar e tirar qualquer inocência restante, mas após muitas conversas com nossos pais (não no meu caso), e amigas que já tiveram certa experiência nós começamos a cativar aquele desejo súbito que sai das nossas entranhas.

Muitas esperam pelo amor da vida para se casar e depois se entregar (já perdi as contas de quantos divórcios surgiram após isso, salvo aqueles que realmente se amam), não é novidade o grande número de divórcios… Na maioria o casal acaba se separando, pois o amor não foi construído, a sexualidade ainda estava em descoberta e o sexo não fazia sentido.  Outras moças, já vão se assanhando e curtindo o que há de bom nas suas primeiras namoradinhas (os), controlar aquele fogo todo não é para qualquer um não e normalmente surgem inúmeras paixões enlouquecedoras que obrigam a nossa mente a pensar em sexo. E por fim aquelas que já ficaram de saco cheio desses pensamentos “ardentes” e resolveram verificar na sua lista de contatos uma ”vítima” (ligam e perguntam: – Tá em casa? Tá sozinho (a)? Quer transar?

– foi assim que aconteceu a minha primeira experiência sexual).

Hoje estou num relacionamento há quase quatro anos (aniversário mês que vem lol) estamos bem, porém na entrada do segundo ano de namoro o sexo deu uma esfriada e normalmente nós mulheres (EUUUUU) ligamos essa ocasião ao fim do amor e nossas cabeças começam a construir planos para provocar ciúmes nas nossas parceiras, para que elas adivinhem que nós sentimos falta de algo MUITO IMPORTANTE.

Eu costumo dizer que o relacionamento saudável que possa durar a vida inteira normalmente precisa de três itens (isso no meu modesto ponto de vista).

1 – a PAIXÃO está presente no inicio de quase todo relacionamento, só que ela teoricamente possui uma data de validade alguns estudiosos defendem a hipótese de que ela possa durar de 10 a 24 meses, tempo o suficiente para que um casal possa gerar um filho, então não se iluda paixão é um jogo químico e biológico da natureza para você ter aquele sexo gostoso com alguém e procriar.  Eu e minha namorada levamos a fase da paixão muito a sério (quando digo sério é serio mesmo) nós duas não tínhamos hora e nem lugar, a gente queria é se amar e deixar queimar o fogo da PAIXÃO (sabe aquele cheirinho de álcool que sentimos quando beijamos apaixonadamente alguém? Acho que diariamente produzíamos um galão ( ͡° ͜ʖ ͡°) ). Mas quando os nossos hormônios desfloresceram os nossos corpos foram seguindo ritmos distintos. E foi a época que mais brigamos, mais separamos, mais nos magoamos etc. Eu ainda estava com o fogo da paixão a queimar dentro de mim, e ela? Ela tinha acabado de sucumbir o amor e os ciúmes. Meu pequeno botão de lótus não queria namorar ou fazer amor, queria um tempo para entender o que estava acontecendo.

2 – o AMOR é o segundo item, fui entender o que minha namorada sentia, no extremo do nosso relacionamento, eu estava triste, chorosa, magra, debilitada não conseguia dormir, sentia a sua falta, parecia que alguém tinha violentamente arrancando ela de mim. Depois de um tempo me recuperando dos machucados tentando recomeçar a vida ela apareceu com um buquê de flores, me olhou no fundo dos olhos e disse que me amava e que não queria que a gente terminasse… Depois daquilo ela prometeu nunca me magoar (deixar triste às vezes pode, mas magoar nunca mais) eu também prometi. Então entendi que o amor é o mais importante (não sei quanto tempo dura o amor, mas ouvir dizer que é para sempre). O que nos fazia brigar era a falta de sexo, mas ninguém tinha culpa, infelizmente esses hormônios nos levam a loucura e a falta de sexo na nossa idade faz mal (mau humor, estresse, insônia e estima baixa) Precisávamos mudar alguns atos e algumas coisas, mesmo amando seriamos (eu sentia mais isso) “obrigadas” a trair para nos livrar desse peso. Antes o sexo parecia maravilhoso e hoje ele é o nosso carma.

3 – A CUMPLICIDADE, eu acho que é o que faz a gente querer ficar para sempre uma com a outra, quando estou triste ela me dá cartinhas, quando estou chorando na cena mais triste de um filme (cemitérios dos vaga-lumes é a animação mais triste que eu já vi na vida) lá está ela chorando comigo e me dando colo, quando ela está dodói lá vai eu fazer uma canjinha, quando ela está com dor de cabeça, lá vai eu dormir no quarto da minha irmã, quando acaba o cereal lá vai à gente sempre juntas a comprar e passear (meu passatempo favorito) no hipermercado. Tornamo-nos amigas, companheiras a ponto de não mais fazer jogo de chantagem emocional para conseguir uma rapidinha. Conversamos sobre o assunto e pronto. Brigas para quê? Estamos mais abertas a soluções e melhoras. Essa é a verdadeira amizade entre um casal, para que pudéssemos conviver com saúde e alegria, nós precisaríamos encarar o sexo como um presente de mim para ela e vice-versa.  Resolvemos nos cuidar, nos exercitar todas as manhã para termos mais disposição para o dia a dia e para as nossas noites. XÔ PREGUIÇA!!!

O importante mesmo é ficar bem com quem a gente ama.

Texto: Cacau

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s