FEMINISMO: não é pra aniquilar os homens, é pra por fim no machismo

Pra quem ainda não tinha conhecimento dessa pérola de música, arte, pedido de respeito, liberdade e igualdade dos direitos eu faço questão de compartilhar.

Segue a letra pra quem, assim como eu fica babando no clipe e não consegue acompanhar a letra.

Short, esmalte, saia, mini blusa, brinco, bota de camurça, e o batom? Tá combinando!

Uma Deusa, louca, feiticeira, alma de guerreira, sabe que sabe e já chega sambando

Calça o tênizin, se tiver afim, toda toda Swag, do Hip Hop ao Reggae

Não faço pra buscar aprovação alheia, se fosse pra te agradar a coisa tava feia

Então mais atenção, com a sua opinião, quem entendeu levanta a mão

Respeita as mina

Toda essa produção não se limita a você

Já passou da hora de aprender

Que o corpo é nosso nossas regras nosso direito de ser

Respeita as mina

Toda essa produção não se limita a você

Já passou da hora de aprender

Que o corpo é nosso nossas regras nosso direito de ser

Sim respeito é bom bom, flores também são mas não quando são dadas só no dia 08/03

Comemoração não é bem a questão, dá uma segurada e aprende outra vez

Saio e gasto um din, sou feliz assim, me viro ganho menos e não perco um rolezin.

Cê fica em choque por saber que eu não sou submissa, e quando eu tenho voz cê grita: “Ah lá a feminista!”

Não aguenta pressão arruma confusão, para que tá feio irmão!

Respeita as mina

Toda essa produção não se limita a você

Já passou da hora de aprender

Que o corpo é nosso nossas regras nosso direito de ser

Respeita as mina

Toda essa produção não se limita a você

Já passou da hora de aprender

Que o corpo é nosso nossas regras nosso direito de ser

Não leva na maldade não, não lutamos por inversão, igualdade é o ” X ” da questão, então aumenta o som!

Em nome das Marias, Quitérias, da Penha Silva Empoderadas, revolucionárias, ativistas, deixem nossas meninas serem super heroínas!

Pra que nasça uma Joana D’arc por dia!

Como diria Frida: “Eu não me Kahlo!”

Junto com o bonde saio pra luta e não me abalo.

O grito antes preso na garganta já não me consome:

É pra acabar com o machismo e não pra aniquilar os homens.

Quero andar sozinha porque a escolha é minha, sem ser desrespeitada e assediada a cada esquina.

Que possa soar bem, correr como uma menina, jogar como uma menina, dirigir como menina, ter a força de uma menina.

Se não for por mim, mude por sua mãe ou filha!

Respeita as mina

Toda essa produção não se limita a você

Já passou da hora de aprender

Que o corpo é nosso nossas regras nosso direito de ser

Respeita as mina

Toda essa produção não se limita a você

Já passou da hora de aprender

Que o corpo é nosso nossas regras nosso direito de ser

Autores: Kell Smith e Rick Bonadio

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.